Seguidores

Negócio na internet

Dieta 21 Dias

quarta-feira, 5 de abril de 2017

O Genial "Malvado" Fernando Sancho

Por Altamir Pinheiro

Por analogia, se o picareta Eduardo Cunha  é considerado o BANDIDO PREDILETO ou FAVORITO dos brasileiros - em que pese ter de mofar na cadeia -, por ter  prestado um relevante serviço à nação, em razão dele ter sido o algoz de Dilma, quando assinou aquele oportuno e  bendito  pedido de impeachment (É sempre bom lembrar que o impeachment contra a ex-presidente  Dilma Rousseff salvou o Brasil). Em paralelo vem em nossa mente àquela  figura excêntrica e afamada, além de   galhofeira  e debochada desse magistral   ator,  FERNANDO SANCHO, o nosso BOM HOMEM MAU... Por esse “interiozão”  das cidadelas brasileiras, dias de feiras livres,  fãs de memoráveis westerns spaghetti procuravam avidamente pelo nome de Fernando Sancho nos cartazes dos filmes dependurados em postes ou acompanhava o “locutor” num carro de marca  Jeep ou Rural, com um microfone enrolado num farrapo de flanela vermelha,  anunciando a película cinematográfica de logo mais à noite em CinemaScope, que era   uma tecnologia de filmagem e projeção que utilizava lentes de última geração, pois ninguém   tinha dúvida em comprar o bendito  ingresso com a certeza de boa diversão.

O Genial Malvado foi muitas vezes estigmatizado ou rotulado de modo negativo como um bandido mexicano quando na verdade ele nasceu em Zaragoza, viveu  na Espanha e morreu em Madrid. Com aquele seu corpanzil pesado, o ator  espanhol que passava facilmente por mexicano, normalmente por bandido mexicano. Ele é um ator espanhol que se notabilizou por interpretar bandoleiros com seu barrigão exagerado, rosto suado, vestes ensebadas e gargalhada que se ouvia à distância de  um ou mais quilômetros antecipando alguma crueldade. O nome desse ator é Fernando Sancho, que por mais que tentasse ser sinistro e sanguinário, nunca deixava de conquistar o espectador que, muitas vezes, secretamente até a gente  torcia  por ele.

Quando o WESTERNCINEMANIA elaborou a  enquete “GRANDES BANDIDOS DOS FAROESTES”, alguns cinéfilos como Darci Fonseca, Joaílton de Carvalho e Edson Paiva não se conformaram com a ausência do europeu  Fernando Sancho entre os 50 homens mais selecionados para a enquete. ESCREVERAM: “Acho que na lista dos piores bandidos faltou Fernando Sancho, carismático, cruel, cínico e sujo”. OUTROS COMENTÁRIOS: “Fernando Sancho foi uma ausência de peso. (...) Acho que nenhum dos 50 da lista interpretou a quantidade de vilões que fizeram a fama de Fernando Sancho. (...) Ele marcou os westerns spaghetti e muitas vezes os filmes só valiam à pena por sua presença”...

O cinema espanhol não poderia prescindir de um artista como Fernando Sancho que, mesmo sempre um pouco acima do peso, era capaz de interpretar galãs com a mesma facilidade com que interpretava policiais, oficiais fardados e, melhor que ninguém, HOMBRES MALOS nos westerns spaghetti. Em sua briosa carreira, no auge, Sancho não parava de filmar e suas participações em produções na década de 60 é impressionante: sete filmes em 1961; -  seis em 1962;  - nove em 1963; -  nove em 1964; - 14 em 1965; -  14 em 1966; - 12 em 1967; - nove em 1968; cinco em 1969. Nessa década Fernando Sancho fez desde pequenas participações em superproduções como “LAWRENCE DA ARÁBIA”, “O Rei dos Reis” e “55 Dias em Pequim” a papeis importantes como em “O Filho do Capitão Blood”. Ao todo foram mais de 200 filmes.  Sancho participou de gravações cujos elencos eram liderados por campeões de bilheteria na Espanha como os astros infantis Pablito  e Joselito. Foi pouco relevante mas que alcançou sucesso na Espanha interpretando “El Zorro” herói muito querido na terra de Cervantes. Em “A Vingança do Zorro” (1962), Fernando Sancho iniciou uma nova fase em sua carreira, agora no GÊNERO WESTERN que atraía muito público na Europa. Além destes, Sancho atuou em muitos  filmes  com o italiano  GIULIANO GEMMA, filmes como:   "Uma Pistola Para Ringo", "Ringo Não Discute: Mata". Em "Uma Pistola para Ringo" ele é dublado por alguém bastante competente, o que deixa o filme ainda mais divertido. O melhor filme de Ringo com Sancho, donde, recomendo-o.

E haja filmes de faroestes!!!, entre tantos:  “Pelo Prazer de Matar; - “Até no Inferno Irei à Sua procura”; -  “Django Atira Primeiro”; - “Clint, o Solitário”; -  “Django Mata por Dinheiro. EM “ARIZONA COLT”, GIULIANO GEMMA E FERNANDO SANCHO CONTRACENAM PELA ÚLTIMA VEZ NUM WESTERN. Dois spaghetti que alcançaram muito sucesso foram “O Dia da Desforra” e “Ódio por Ódio”, ambos com a presença de Sancho. São de 1967: “Um Homem e Um Colt”; -  “Killer Kid” (com o ítalo/brasileiro Anthony Steffen);  - “Billy, o Sanguinário” (o personagem de Sancho é ‘El Bicho’);  - “15 Forcas para um Assassino”; -  “RITA NO WEST” (COM RITA PAVONE E TERENCE HILL); -  “A Outra Face da Coragem” (com Mark Damon e John Ireland e Sancho interpretando “Carrancha”, mais um nome bastante significativo para o ator).

Finalmente,  como curiosidade,  os filmes da dupla “O Gordo e o Magro” faziam grande sucesso na Espanha e o eclético Fernando se tornou o dublador oficial de Oliver Hardy, o Gordo. Fernando Sancho tinha como seu grande ídolo: JOHN WAYNE. Os últimos westerns da filmografia de Fernando Sancho, nos anos 70, tiveram qualidade bastante inferior uma vez que diretores como Corbucci, Sollima, Tessari e principalmente  LEONE (com quem Fernando Sancho nunca filmou) haviam dado adeus ao gênero. A fama de Fernando Sancho era tão grande na Europa de modo geral e mais especialmente em seu país, que a revista espanhola “INTERVIU” bateu recordes de tiragem quando estampou ensaio fotográfico com MAYTITA, A FILHA DO ATOR. Já passado dos 60 anos de idade, o ritmo de trabalho de Fernando Sancho diminuiu sensivelmente, mas ainda assim nunca lhe faltou convites para atuar, no mais das vezes emprestando seu glorioso nome a produções de qualidade duvidosa. Sancho foi dirigido pelos principais diretores italianos e espanhóis de westerns, mas não teve oportunidade de atuar sob as ordens de SERGIO LEONE, o que aparentemente não o incomodou. Se vivo fosse FERNANDO SANCHO teria completado 101 anos em janeiro de 2017. Morreu em 1990 aos 74 anos de idade de câncer. O gorducho nunca levava a sério, como também não ligava para certa discriminação que sofria de Hollyood. Porém, a única coisa que lamentava,  isto sim, nunca ter participado de um filme de John Wayne,  seu grande ídolo no cinema.

CLIC AQUI PARA ASSISTIR ESTE TRIBUTO A FERNANDO SANCHO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui!
Lembre-se: comentários com acusações, agressões, xingamentos, e que citem nomes de familiares de quem quer que seja, não serão publicados.

Opine com responsabilidade!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...