Seguidores

Dieta 21 Dias

Negócio na internet

sábado, 15 de julho de 2017

A vida longa de Jane Fonda

Por Altamir Pinheiro

JANE FONDA transbordando beleza e graciosidade, neste ano (2017), em dezembro,  será uma OITENTONA e pertence a árvore genealógica dos Fondas, uma das maiores dinastias do cinema. É filha de Henry Fonda, astro do cinema nos anos 40 e 50, irmã do ator Peter Fonda e tia da também atriz Bridget Fonda. Além de atuar no cinema, Jane Fonda é produtora, militante política, escreveu e produziu livros e vídeos de ginástica e sobre alimentação saudável. Recebeu o Oscar de melhor atriz, em 1971, com o filme "Klute - "O Passado Condena", e em 1978 com "Amargo Regresso". Nessa época  passou a dedicar parte de seu tempo à militância política, colocando-se contra a Guerra do Vietnã. Casou-se três vezes, seu último matrimônio foi  com o magnata das comunicações Ted Turner, proprietário da CNN e da TNT, que durou 10 anos. Em 2001, se separou do todo-poderoso dono da rede de TV a cabo CNN e vice-presidente do grupo Time-Warner,  o conhecido magnata Ted Turner.

Jane Fonda foi lançada, tal como  Catherine Deneuve, Brigitte Bardot, pelo diretor Roger Vadim(que foi seu primeiro marido). Dirigida por ele, rodou, entre outros, o filme de ficção científica Barbarella (1968), cujas cenas arrojadas a tornaram uma SEX SYMBOL. Jane Fonda superou essa imagem graças a seu empenho político contra a Guerra do Vietnã, a favor dos direitos humanos e com sua participação no movimento de oposição à energia nuclear. Em muitos de seus filmes interpreta o papel de mulheres enérgicas, capazes de se impor (como em Síndrome da China, 1979, e Uma Mulher Implacável, 1979). No início da década de 80 obteve um enorme sucesso com vídeos e livros de aeróbica, os quais tiveram um acolhimento impressionante  sobretudo por parte das mulheres. Um fato inusitado é que ela participou ao lado de Henry Fonda, seu pai, no filme UM LAGO DOURADO(1981). Este foi o último filme do seu pai que já estava com 76  e ela com 44 anos de idade.

Recentemente, em entrevista prestada ao jornal O Globo,  JANE afirmou que está dando preferência aos seus papéis para mulheres idosas.  Uma das razões pelas quais ela  especificou fazer uma série sobre mulheres idosas é porque somos a faixa demográfica que mais cresce no mundo. Além disso, os idosos estão vivendo mais, e a cultura e a mídia não costumam contar histórias sobre pessoas mais velhas. Mas eu sou uma idosa, quero ver a televisão falando sobre pessoas mais velhas, os tipos de problemas que enfrentamos, como nossas vidas são.

Jane Fonda ficou afastada dos holofotes durante 15 anos, por isso de velhice ela entende bastante. Aos 53 anos, Jane resolveu largar uma bem-sucedida carreira, abandonando o ofício compartilhado por seu pai, Henry, o irmão Peter e a sobrinha, Bridget. Só aos 67 ela decidiu que o show tinha que continuar, inspirada pela separação traumática do magnata das telecomunicações Ted Turner, em 2001, e por sua autobiografia, “MY LIFE SO FAR”, lançada em 2005. Valeu a pena. Pelo livro e pelo filme “A SOGRA”, que marcou sua volta ao cinema, também em 2005, tornou-se a primeira pessoa a ocupar simultaneamente os topos da bilheteria e do ranking de best-sellers.

O mais consagrado filme de faroeste protagonizado pela filha de Henry Fonda, LADY JAYNE SEYMOUR FONDA(Jane Fonda), sem sombra de dúvida foi CAT BALLOU que no Brasil foi denominado de DÍVIDA DE SANGUE. Como afirma o crítico de cinema Darci Fonseca Jane Fonda ainda não havia se revelado a ótima e premiada atriz que tanto sucesso faria nos anos seguintes e como Cat Ballou, além de sua natural graciosidade, permite que a câmara passeie por seus atributos físicos. Nunca mais um western mostrou uma derrièr(bumbum) tão perfeita como a de Jane Cat Ballou Fonda.

O divertidíssimo  western DÍVIDA DE SANGUE (Cat Ballou) de Elliot Silverstein rendeu 20 milhões de dólares no ano de seu lançamento, sendo um dos campeões de bilheteria naquele ano.  Mesmo sendo desigual em seus 97 minutos de duração, “Cat Ballou” é um western agradável de ser assistido. Torna-se porém obrigatório, um pouco pela beleza de Jane Fonda, outro tanto pela alegria e voz maravilhosa de Nat King Cole e muito, mas muito mesmo, pelo talento de Lee Marvin. Veja o vídeo logo abaixo com o   Trailer do filme que  é uma delícia de se assistir, principalmente devido ao elenco, com o carisma esfuziante de Nat King Cole e a jovem Jane Fonda transbordando beleza e graciosidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui!
Lembre-se: comentários com acusações, agressões, xingamentos, e que citem nomes de familiares de quem quer que seja, não serão publicados.

Opine com responsabilidade!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...