Seguidores

sábado, 17 de agosto de 2019

Ala Feminina da Câmara de Vereadores de Garanhuns

Por Altamir Pinheiro

Sem o menor intuito de querer denegrir a imagem de quem quer que seja é preciso que se diga com todas as letra que, nunca na história de Garanhuns tivemos uma Câmara de Vereadores que deixa tanto  a desejar ou de baixo nível cultural,  para os padrões intelectuais de nossa cidade como os atuais componentes  da Casa Raimundo de Moraes.  excetuando-se cerca de meia dúzia de parlamentares, o que ficar como  sobra pode tocar fogo que não rende uma colher de cinzas... Agora, uma coisa sobressai-se muito bem naquela casa: Trata-se da ALA FEMININA. Que bom seria  que  o prefeito atendesse com mais presteza e interesse social ou enxergasse com bons olhos as suas respectivas reivindicações através dos seus  inspirados requerimentos.

O Parlamento de Garanhuns é  composto por quatro vereadoras que têm surpreendido com seus sugestivos e proveitosos requerimentos ou projetos para os analistas que acompanham ou estão  atentos ao desempenho de cada edil garanhuense. Uma delas, Carla,  foi presidente da casa; outra, Luzia faz parte da mesa diretora e seus requerimentos são muitos preciosos e utilitários por abranger assuntos urgentes pertinentes à cidade; já no tocante à vereadora Andréa, ela  vem se destacado e muito bem a cada dia que passa e pode-se considerá-la  como a vereadora  revelação do ano de 2019, mas no campo social propriamente dito, o destaque maior fica para Betânia da Ação Social que tem apresentado requerimentos exemplares beneficiando em cheio e primordialmente as mulheres e os  deficientes físicos.

Pois bem!!! Na última quarta-feira(14), a vereadora Betânia apresentou um requerimento bastante  surpreendente por se tratar de um pedido de caráter inusitado. Ou seja,  ela solicitou ao governador Paulo Câmara  como também  ao prefeito Izaías Régis, a implantação do programa e a  criação de um aplicativo conhecido como  “BOTÃO DO PÂNICO” para as mulheres em situação de risco. Mais o que diabo vem a ser  é esse tal de aplicativo conhecido ou denominado de BOTÃO DO PÂNICO? A bem da verdade, esse   dispositivo faz parte de um projeto piloto lançado pelo Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo (TJ-ES) em parceria com a Prefeitura. O objetivo é reduzir os altos índices de violência doméstica registrados naquela capital. Desde 2013, mulheres em Vitória que se sentem ameaçadas por ex-maridos, namorados ou companheiros contam com um mecanismo importante de proteção: o Botão do Pânico.

Caso o  botão do pânico fosse implantado em Pernambuco e especialmente em Garanhuns como pediu a vereadora Betânia da Ação Social, o tal aplicativo ajudaria em muito  o sistema de Justiça e a polícia a fiscalizar MEDIDAS PROTETIVAS oferecidas a mulheres vítimas de violência doméstica. O troço funciona da seguinte maneira:  o botão é acionado pela mulher toda vez que seu ex-marido ou companheiro, condenado a ficar distante dela, se aproximar. O rastreamento é feito na sala de vídeo de monitoramento que seria localizada nas respectivas delegacias. O troço funciona tão bem e é de um alcance protetivo e punitivo tão precisos que   para obter acesso ao botão a Justiça deverá determinar por meio de uma decisão judicial a doação do botão às mulheres que possuem medidas protetivas, com consentimento da vítima.

Em um bate papo informal que mantive com o chefe de gabinete da vereadora, ele me convenceu  do funcionamento por inteiro e completo do programa na cidade de Vitória(ES), onde foi adotado  o botão de pânico que veio a se tornar  como um dos instrumentos que visa melhorar e aperfeiçoar o combate à violência contra mulheres no Estado. O programa conta também com a Patrulha Maria da Penha. O Botão do Pânico pode ser acionado caso o agressor não mantenha a distância mínima garantida pela Lei Maria da Penha. Ele capta e grava a conversa num raio de até cinco metros. E O MELHOR: a gravação poderá ser utilizada como prova judicial.  E MAIS: O Botão do Pânico também dispara informações para uma Central, com a localização exata da vítima, para que um carro da Patrulha Maria da Penha seja enviado ao local. Para garantir agilidade no atendimento ao pedido de proteção, a administração municipal disponibiliza viaturas da Guarda 24 horas.

São projetos, requerimentos ou pedidos  como estes, de longo alcance no que diz respeito a  proteção e segurança   que dignificam a passagem ou as presenças  das mulheres nas Câmaras Legislativas Municipais, no caso específico de Garanhuns, a ala feminina é composta de 37% do seu quadro de vereadores que representam a Casa Raimundo de Moraes. Tomando como base esse excelente requerimento produzido pela vereadora Betânia da Ação Social, em tradução simultânea, percebe-se claramente que, a vereadora, no seu cotidiano,  em seu  ofício da qual foi eleita para isso, procura alcançar dentro da medida do possível o triunfo a partir de um espírito tenaz, forte e obstinado na sua tarefa em ajudar os que tanto precisam,  principalmente e em especial  as mulheres e os deficientes físicos. De parabéns a vereadora pela excelente iniciativa dessa medida protetora às mulheres, aplicativo este conhecido como BOTÃO DO PÂNICO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui!
Lembre-se: comentários com acusações, agressões, xingamentos, e que citem nomes de familiares de quem quer que seja, não serão publicados.

Opine com responsabilidade!

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...