Seguidores

domingo, 6 de agosto de 2017

Cáritas construirá 46 cisternas em escolas públicas nos municípios de Caetés, Capoeiras e Calçado


A Cáritas Brasileira Regional Nordeste 2 realizou um Encontro de Mobilização Territorial com gestores públicos, educadores e lideranças comunitárias para apresentar o Programa Cisternas nas Escolas, da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA). O evento foi realizado, no mês de julho/2017, na Escola Municipal Monsenhor José de Anchieta Callou, em Caetés (PE), e teve o objetivo de definir estratégias locais de execução para os municípios que serão atendidos pelo projeto.

O processo de formação e mobilização social do Programa Cisternas nas Escolas, que culminará na construção de 46 tecnologias sociais, com capacidade para captar e armazenar 52 mil litros de água da chuva, será desenvolvido em escolas rurais dos municípios de Caetés (20), Calçado (12) e Capoeiras (14), localizados no Agreste Meridional de Pernambuco. O projeto, que realizou as primeiras articulações no mês passado, tem a previsão de concluir as atividades em novembro deste ano.

Representantes da sociedade civil e de órgãos governamentais expressaram a importância da ampliação de políticas públicas de acesso à água não só em propriedades familiares, mas também nas escolas. “Não estamos tratando, aqui, apenas de ter água, mas de criar condições para a convivência com o Semiárido. Aliado a isso, temos a produção de conhecimento, que vai orientar a comunidade escolar para fazer uma boa gestão dos recursos hídricos”, afirmou a secretária de educação de Capoeiras, Marciane Tenório.

Em seguida, a agente Cáritas, Creuza Teles, responsável pela assessoria pedagógica do projeto, explicou a relação que existe entre a educação contextualizada para a convivência com o Semiárido e o Programa Cisternas nas Escolas. De acordo com a educadora, esse modelo de ensino e aprendizagem estabelece um vínculo direto com a vida das pessoas, que são fortalecidos por meio da identidade cultural da região e da luta pela terra, a fim de promover uma educação transformadora e à serviço da comunidade.

De acordo com Flavianeide, os próximos passos do projeto se darão a partir da realização de encontros comunitários, com os pais dos alunos; da capacitação em Gestão de Recursos Hídricos Escolar, com nutricionistas, merendeiras, assistentes e zeladores; da oficina de educação contextualizada e da construção das cisternas. A agente Cáritas destacou, ainda, o contentamento em relação às parcerias. “Fico muito feliz em saber que, em conjunto com lideranças comunitárias e o poder público, começamos mais um trabalho que vai proporcionar melhores condições de vida para o povo do campo”, 

Por Lidiane Santos | Assessoria de Comunicação da Cáritas NE2
Fotos: Wagner Cesario | Assessoria de Comunicação da Cáritas NE2

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui!
Lembre-se: comentários com acusações, agressões, xingamentos, e que citem nomes de familiares de quem quer que seja, não serão publicados.

Opine com responsabilidade!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...